Miss Trans Curitiba 2010

Como acontece de vez em quando, hoje vim falar sobre um assunto que nada tem relacionado com unhas, mas que que vale muito a pena falar.

Na última sexta-feira, dia 25, foi realizado aqui em Curitiba a quinta edição do Miss Trans Curitiba, na Sociedade 13 de maio. O evento, realizado por meio de uma parceria entre o Transgrupo Marcela Prado, sob direção de Carla Amaral, e Associação da Parada da Diversidade, reuniu 12 candidatas que disputaram o título Miss Trans Curitiba, em trajes de banho e gala.

O principal objetivo do evento, além de mostrar a beleza das transexuais, também foi "resgatar a autoestima, promover a visibilidade positiva e a socialização", como afirmou Carla Amaral. Além disso, também foram feitas filmagens que serão utilizadas na criação de um documentário sobre o Gala Gay, famoso e prestigiado evento realizado na cidade de Curitiba, nas décadas de 70 e 80, que contava com a participação da alta sociedade e de travestis e transexuais que participavam de um concurso de fantasia, no Clube Operário. O documentário será realizado pelo Projeto Olho Vivo.

Fui com meu esposo ao evento que, como não poderia deixar de ser, tinha muito brilho e luxo. Foi muito animado e me diverti bastante e devo confessar que poucas mulheres conseguem ter a beleza de algumas trans que lá estavam. A noite contou com a presença de DJ e shows de transformistas, como da lindíssima Brigitte Beaulieu, da Linda Power, Alessandra Cantarelli e outras.

Um dos pontos fracos do evento foi a organização. À frente da passarela tinham mesas onde as pessoas que chegaram cedo ao evento - como eu - se sentaram. O problema é que quando o desfile começou as pessoas que não conseguiram lugares às mesas, simplesmente ficaram em pé no espaço entre a passarela e as mesas, ou seja, as pessoas que estavam nas mesas - como eu - não conseguiam ver nada do que acontecia, já que o palco e passarela estavam no mesmo nível. A solução para ver o que acontecia foi subir nas cadeiras e mesas. Ficamos todos empuleirados, o que para mim foi um ponto negativo, já que acho que quem chegou antes tinha o mesmo ou mais direito de ver o desfile, além de não combinar com o luxo do evento. Bom, pra mim esse foi o motivo de sair antes que o evento terminasse, já que meus pés doíam sem parar.

Agora, o ponto mais alto e positivo foi encontrar por lá pessoas idosas e crianças. Isso mostra que mesmo as gerações passadas podem sim ficar imune ao preconceito e que as próximas gerações, se possível, deveria desconhecer o que é preconceito sexual.

Bom, como disse anteriormente, não fiquei até o final, mas a vencedora do concurso foi Jennyfer Vitória, seguida por Jaquelyne Lorenzo e Sabrina Mab. Quem ficou com o título de Miss Simpatia foi Josiane Bougers.

Ah, antes de ir para as imagens que a fotógrafaMelissa Andreata fez e postou em seu Flickr, devo dizer que no alto do meu 1,61 m me senti uma verdadeira nanina diante das lindas que lá estavam. Não é brincadeira! Meu esposo, com 1,84 m, quase chegou perto do ombro de algumas!










2 comentários:

Anônimo disse...

Olá Luma, primeiramente, meu muito obrigada por sua presença em nosso evento, saiba que as críticas são sempre bem vindas, assim nos próximos eventos tentaremos melhorar, e conseguir acolher de maneira agradável e confortável a todos. Nem tudo conseguimos controlar para o sucesso completo, mas te prometo no VI Miss Cuitiba, com certeza, todos poderão prestigiar nosso humilde evento, em um local mais apropriado e confortável. Obrigada novamente em nome de todas as travestis e transexuais de Curtiba e contamos com sua presença em 2011. Bjsssssssssss - Atenciosamente Carla Amaral - idealizadora e organizadora do Miss Curitiba Trans.

Luma Savi disse...

Carla,

Obrigada pelo seu comentário e tenha certeza de que no próximo Miss Trans estarei lá, com toda certeza!

Beijos